terça-feira, 21 de setembro de 2010

Soninha incorpora “trololó” de Serra


Não há nada mais desanimador do que ver um jovem reacionário. Muitas vezes até se compreende por ter uma formação de elite, muito desvinculada da realidade, e na qual lhe incutem valores dos quais não consegue se libertar mesmo com a rebeldia inerente à juventude.

Mas pior ainda é ver uma pessoa politicamente jovem, que já esteve na esquerda e compartilhou ideais de liberdade, bandear para a direita e proclamar certas coisas de envergonhar seu passado.

Dizem que os piores reacionários são aqueles que já estiveram na esquerda e, para serem aceitos na direita, precisam se tornar ferozes. Como foi o caso de Lacerda, no passado, e Roberto Freire, agora.

Esse tipo de gente tem uma nova aspirante, não por coincidência do partido de Freire, a ex-vereadora Soninha Francine, coordenadora da campanha de Serra na internet. Talvez pela proximidade estreita com o tucano, Soninha incorporou a leviandade de Serra ao fazer acusações. Pior ainda, talvez tenha se tornado menina de recados de uma cabeça velha e ultrapassada da política.

Soninha usou o twitter para insinuar que houve sabotagem nos problemas enfrentados hoje pelo metrô de São Paulo, com graves transtornos à população da capital paulista. “Metrô de Spaulo tem problemas na proporção direta da proximidade com a eleição. Coincidência? #SABOTAGEM #valetudo #medo”, escreveu ela no microblog.

Como coordenadora de internet da campanha de Serra, Soninha deveria saber que a blogosfera é atuante e que tem meios de reagir, ao contrário do que acontece com as mentiras que seu chefe espalha pelos meios tradicionais de comunicação e que não podem ser facilmente contestadas.

A resposta à sua infame mensagem foi prontamente rebatida pelo movimento #SoninhaFacts, ironizando sua teoria conspiratória com situações absurdas.

“Quando eu era do PT, eles me obrigavam a lutar nas Farc”, “Motoboy petista se joga na marginal e pára trânsito”, diziam alguma mensagens que logo se tornaram trending topic do Twitter

Mesmo assim, a jovem velha política manteve o que disse. “Teorias podem ser exageradas, mas conspirações existem. É óbvio que nos movimentos sindicais existe simpatia muito forte pelo PT. Não acredito em tanta coincidência. É óbvio, é óbvio”, disse ela à Folha de S.Paulo, exibindo até os cacoetes de repetição de Serra quando não tem mais argumentos. Mais um pouco, Soninha diria que é tudo “trololó petista”.

Do Tijolaço - O blog do Brizola Neto

Um comentário:

  1. Prof. Cristiano Reis15 de outubro de 2010 17:24

    Carta aberta aos cristãos.

    Caieiras, 09 de outubro de 2010.

    Estamos diante de um lamentável fato: sacerdotes católicos desinformados servem aos interesses dos poderosos. O grande questionamento que paira sobre nós é se tais sacerdotes estão levantando a bandeira “tucana” por estarem a favor de um projeto neoliberal para nosso país, ou trata-se de uma visão distorcida e conservadora acerca do direcionamento político e ideológico do atual governo?
    Levanto esta dúvida, pois foi ainda no governo FHC (um dos grandes mentores do PSDB e ATEU), que o Sr. JOSÉ SERRA, então ministro da saúde assinou em 1998 a Norma Técnica “PREVENÇÃO E TRATAMENTO DOS AGRAVOS RESULTANTES DA VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA MULHERES E ADOLESCENTES”, que trata das situações em que o aborto assistido é permitido, questionada pela CNBB que pediu inutilmente sua revogação, conforme carta assinada por Dom Raymundo Damasceno Assis em 25 de agosto de 2000.
    O que querem sacerdotes como o Pe. José Augusto (Comunidade e TV Canção Nova) e bispos como Dom Benedito Beni da diocese de Lorena? Um projeto político que exclua os pobres e beneficie os mais ricos? Ou simplesmente se esqueceram do episódio protagonizado pelo “ministro da saúde e da morte” José Serra?
    Se em suas homilias esses sacerdotes anti-petistas dizem que um novo governo “petista” interferiria nas questões religiosas, não estariam eles se valendo da autoridade religiosa para interferir em questões de estado, em um ato explícito “indução eleitoral” sob pena de uma possível “condenação eterna”?
    Tenho 29 anos, sou católico, marido e pai, tenho plena consciência do meu papel na sociedade, sobretudo como cristão e leigo, ainda mais se baseado naquilo que a própria igreja nos ensina a partir do Concílio Ecumênico Vaticano II no que diz respeito ao laicado e nossa importância no meio secular. Acredito que é ir longe demais dizer que estamos incorrendo em excomunhão latae sententiae, por estarmos vinculados a determinado partido político, como o sacerdote da Canção Nova citou em sua desastrosa homilia (episódio responsável inclusive, por uma nota do Monsenhor Jonas Abib pedindo perdão pelos possíveis excessos praticados por membros da comunidade). Seguindo o raciocínio deste pseudo-canonista, os que apóiam o “candidato tucano” também sofreriam tal condenação, inclusive ele e alguns bispos do Regional Sul 1 da CNBB (a mesma que condenou a norma técnica do Sr. José Serra) que de algum modo se colocam ao lado do “ministro abortista”.
    Desse modo, convido a todos os cristãos do Brasil a refletirem realmente sobre essa situação lamentável, muito triste para a Igreja do Brasil, uma vez que percebemos aí o “cerne” de um fanatismo que vem simplesmente para confundir a muitos. Não podemos deixar que essa onda de ódio e medo se espalhe entre os filhos de nossa “mãe gentil”.
    Sigamos juntos rumo a um Brasil mais justo, solidário e feliz...

    Prof. Cristiano Lima de Araujo Reis
    Mestre em Literatura e Crítica Literária pela PUC-SP

    ResponderExcluir